Revestimento a base de concreto resiste a terremotos

A Universidade da Columbia Britânica (UCB), em Vancouver, no Canadá, desenvolveu um revestimento a base de concreto capaz de criar camadas ultrarresistentes sobre paredes de vedação. O material torna-as suficientemente fortes para suportar terremotos de até 9 graus na escala Richter.

O concreto foi batizado de Eco-friendly Ductile Cementitious Composite (EDCC) [composto de cimento dúctil eco-amigável]. Projetado em escala molecular, e reforçado com fibras, o material tem alta maleabilidade em estado pastoso e ductibilidade comparável à do aço quando endurece. Isso permite que ele seja pulverizado sobre as paredes, facilitando sua aplicação. No entanto, a aplicação do EDCC requer que o material que irá recebê-lo possua elementos cimentícios.

Um dos pesquisadores, Salman Soleimani-Dashtaki, que faz doutorado no departamento de engenharia civil da UCB, explica que uma camada de 10 milímetros de espessura é suficiente para reforçar a maioria das paredes de vedação contra abalos. “Nos testes que realizamos, aplicamos o EDCC sobre uma parede de blocos de concreto e depois simulamos tremores. Não conseguimos quebrar o revestimento”, explica.

EDCC combina Cimento Portland com fibras à base de polímeros, fly ash (cinza volante resultante da queima do carvão de termelétricas) e aditivos. “O concreto resistente ao terremoto é um ótimo exemplo de como a pesquisa aplicada em nossas universidades públicas está desenvolvendo uma geração voltada para a inovação e o empreendedorismo”, avalia Melanie Mark, professora da disciplina voltada para a inovação na construção do departamento de engenharia civil da UBC.


Nemy Banthia acompanha teste sismológico aplicado sobre parede revestida com EDCC . Crédito: IS-IMPACTS/UCB

A pesquisa foi coordenada por Nemy Banthia, também do departamento de engenharia civil da Universidade da Columbia Britânica, e financiada pelo Centro de Excelência de Pesquisa Canadá-Índia (IC-IMPACTS) hospedado pela UBC, e que funciona em parceria entre os governos do Canadá e da Índia. O valor do investimento é de US$ 60 milhões (cerca de R$ 100 milhões).

A aplicação prática do EDCC pelo IC-IMPACTS ocorreu em novembro de 2017, em uma escola na cidade indiana de Roorkee, no norte do país asiático, e que é altamente vulnerável a abalos sísmicos. O revestimento também foi aplicado em uma creche pública em Vancouver. Neste caso, para testar o desempenho acústico-térmico das paredes.

Outras obras em que o EDCC pode ser aplicado são casas em áreas sujeitas a tremores, além de oleodutos, pavimentos, plataformas offshore, estruturas resistentes a explosões e pisos industriais. “Esta tecnologia está ganhando atenção significativa na Índia e proporcionará às nossas empresas canadenses uma forte vantagem competitiva no crescente mercado global de infraestrutura“, acrescenta Banthia, que também atua como diretor-científico da IC-IMPACTS.

Fonte: Obra 24horas