Emprego na construção tem leve queda em março

A pesquisa mensal de emprego na construção civil realizada pelo Sindicato da Indústria da Construção do Estado de São Paulo (Sinduscon-SP) em parceria com a Fundação Getulio Vargas (FGV), o nível de empregos no setor registrou leve queda de 0,33% no Brasil entre fevereiro e março. Com o fechamento de 7.490 postos de trabalho, o setor passou a empregar 2.295.637 de trabalhadores ao fim do período.
No acumulado do primeiro trimestre de 2019, houve alta de 1,02% no nível de emprego. Na comparação do primeiro trimestre deste ano com o mesmo período de 2018, a variação é de 0,93%.

Em março, o número de vagas teve queda em todas as regiões do País, com destaque para o Norte (-2,04%) e Sul (-0,48%). Na comparação do mês de referência com o mesmo período do ano passado, os segmentos onde o emprego mais caiu foram: Infraestrutura (-2,59%), Obras de acabamento (-1,89%), Incorporação de imóveis (-1,50%) e Imobiliário (-1,02%).
O presidente do SindusCon-SP, Odair Senra, afirma que “a queda do emprego em março, mês em que o indicador normalmente cresce na construção, representa o enfraquecimento da possibilidade de a atividade do setor crescer neste ano”.

São Paulo
Na análise do Estado de São Paulo, o emprego na construção civil em março teve recuo de 0,24%, comparado a fevereiro, com 1.499 postos de trabalho fechados. No primeiro trimestre deste ano, a variação é de 0,26% (+1.668 empregados) se comparado ao mesmo período do ano passado.
As regiões paulistas que apresentaram as maiores quedas percentuais, em março, foram Ribeirão Preto (-2,81%), Presidente Prudente (-1,62%) e São Paulo (-0,28%). Somente São José dos Campos (2,61%), Sorocaba (0,46%) e Bauru (0,35%) registraram aumento.

Fonte: AECWeb