Plástico reciclado é misturado ao betume na construção de estradas na Índia

O consumo de plástico é um dos grandes vilões quando o assunto é a proteção ao meio ambiente. Recentemente, a proibição do uso de canudinhos de plástico por diferentes governos, como no Rio de Janeiro, e o anúncio por empresas como o Starbucks de que os canudos não serão mais utilizados em suas lojas chamaram a atenção para a quantidade de plástico que é descartada sem reciclagem. Mas o problema vai bem além dos canudinhos, com exemplos de cidades que já enfrentam problemas com o lixo descartado sem tratamento posterior. Um dos exemplos é a cidade de Nova Déli, na Índia, que é considerada uma das localidades mais poluídas do mundo e decide dar novo destino ao plástico reciclado.

Mesmo não sendo um caso isolado no país, Nova Déli chama a atenção pela verdadeira “invasão” de plástico descartado, sem a reciclagem. O destino do plástico preocupa o mundo todo. De acordo com pesquisa publicada na revista Science, em 2015, especialistas descobriram que a humanidade gera 275 milhões de toneladas de resíduos plásticos por ano. Desse total, estima-se que de 4,8 milhões a 12,7 milhões de toneladas chega aos oceanos.

Com o objetivo de buscar soluções para o problema do acúmulo de plástico o professor indiano Rajagopalan Vasudevan, que leciona química no Thiagarajar College of Engineering, no sul do país, desenvolveu uma tecnologia para reutilizar o material que seria descartado e transformá-lo em matéria prima para a construção de estradas.

Como funciona?

Criada em 2001, a técnica mistura o plástico reciclado ao betume, material este que é formado por diferentes compostos químicos e utilizado normalmente na construção de estradas. Com isso, é possível diminuir a quantidade de betume que é utilizado, como por exemplo na construção de 1 quilômetro de estrada em que passam a ser utilizados 9 toneladas de betume e 1 tonelada de plástico, em vez das 10 toneladas de betume normalmente necessária.

O processo pelo qual o plástico é transformado envolve basicamente a trituração do plástico e a mistura à areia, pequenas pedras e ao betume, que são aquecidos conforme o tipo de material e necessidades.

A novidade na Índia fica por conta da utilização do plástico reciclado, uma vez que desde a década de 70, tanto na Europa como nos EUA, havia a utilização do plástico novo na construção de estradas, o que acaba por encarecer a obra e não solucionar o problema ambiental.

Resultados com o Plástico Reciclado

As estradas construídas a partir do uso do plástico reciclado apresentaram resultados positivos, do ponto de vista estrutural, pois após anos de sua construção não apareceram buracos ou falhas no asfalto.

Algumas pesquisas já apontaram, entretanto, um ponto de atenção quanto à utilização do plástico na construção de estradas, pois com o passar dos anos seriam liberados microplásticos e que poderiam ser encontrados, posteriormente, em moluscos e peixes consumidos e até mesmo no sal de cozinha. Mas ainda não se há resultados concretos quanto ao real impacto que estes micropartículas liberadas teriam na saúde humana.

O que podemos ter certeza é quanto à importância de se buscar soluções para o descarte de plástico e outros materiais. Em vídeo publicado na revista Ensia, especializada em meio ambiente, Vasudevan deixa clara sua posição a respeito do tema: “O plástico não é o problema, a cultura do lixo é um problema. Jogar lixo na rua é um problema”.

Fonte: Blog da Engenharia