Soluções em construção trazem redução de calor e aumento de durabilidade nas estradas

De acordo com a Confederação Nacional dos Transportes (CNT), 67,5% das rodovias brasileiras são classificadas como regulares, ruins ou péssimas, o que torna a mobilidade no país um grande desafio.

Nesse cenário, o Pavimento Urbano de Concreto (PUC) tem despontado como uma opção que garante maior durabilidade e até mesmo redução de calor quando comparado ao asfalto convencional.

Cleiton Coelho, gerente de tecnologia e inovação e mestre em Engenharia Civil da Max Mohr, empresa de tecnologia em argamassa e concreto, explica que o PUC não se deforma com o calor e não se solta como acontece com o asfalto. Isso tudo resulta em uma durabilidade muito maior, estimada em até 30 anos pela Associação Brasileira das Empresas de Serviços de Concretagem (Abesc).

“Como é um material de cor mais clara, ele ainda contribui para uma maior luminosidade na via, o que faz com que seja economizada energia, já que o espaçamento entre os postes pode ser maior”, afirma o especialista.

No cenário brasileiro, uma das principais vantagens do uso do material – além da redução das estradas esburacadas – é a diminuição da temperatura na via.

O verão no Brasil castiga pedestres, motociclistas e motoristas que trafegam pelas ruas devido ao calor. Com a realidade do aquecimento global, o uso desse material se torna ainda mais importante.

De acordo com pesquisa da Organização Meteorológica Mundial, 2023 foi o ano mais quente da história, e em 2024 o calor pode ser ainda maior.

“Testes realizados em nossa estrutura mostraram que o PUC absorve bem menos calor – entre 8 e 10 graus a menos que o asfalto comum. Além disso, no quesito segurança ele é mais firme e não cria ondulações e deformações que podem causar acidentes”, comenta.

De acordo com a Abesc, diversos países da América do Sul, como o Chile e a Argentina, já têm aplicado com sucesso o PUC em faixas e paradas de ônibus, além de locais com operações de carga e descarga.

Com a redução da temperatura, menor manutenção e menor gasto energético, o PUC, além de ser mais econômico, se torna uma opção mais sustentável. O produto ainda necessita de pouca escavação, gera menos lixo durante a construção e possui uma concretagem mais rápida e sem contaminações.

“O PUC pode ser utilizado em qualquer via urbana, trazendo muito mais segurança e conforto”, destaca o especialista.

Os investimentos em inovação e qualidade já levaram a empresa a conquistar a última versão da ISO 9001, tornando-se a primeira do setor brasileiro a ser reconhecida nessa categoria, reforçando seu compromisso na busca pela liderança do mercado no Sul do país.

Fonte: Grandes Construções